Meu perfil
BRASIL, Nordeste, NATAL, Mulher
MSN - adeliadanielli@hotmail.com




Hist?rico:

- 01/12/2008 a 31/12/2008
- 01/11/2008 a 30/11/2008
- 01/10/2008 a 31/10/2008
- 01/09/2008 a 30/09/2008
- 01/08/2008 a 31/08/2008
- 01/06/2008 a 30/06/2008
- 01/04/2008 a 30/04/2008
- 01/03/2008 a 31/03/2008
- 01/02/2008 a 29/02/2008
- 01/01/2008 a 31/01/2008
- 01/12/2007 a 31/12/2007
- 01/11/2007 a 30/11/2007
- 01/10/2007 a 31/10/2007
- 01/09/2007 a 30/09/2007
- 01/08/2007 a 31/08/2007
- 01/07/2007 a 31/07/2007
- 01/06/2007 a 30/06/2007
- 01/05/2007 a 31/05/2007
- 01/04/2007 a 30/04/2007
- 01/03/2007 a 31/03/2007
- 01/12/2006 a 31/12/2006
- 01/10/2006 a 31/10/2006
- 01/08/2006 a 31/08/2006
- 01/06/2006 a 30/06/2006
- 01/05/2006 a 31/05/2006
- 01/04/2006 a 30/04/2006
- 01/01/2006 a 31/01/2006
- 01/11/2005 a 30/11/2005
- 01/10/2005 a 31/10/2005
- 01/09/2005 a 30/09/2005
- 01/08/2005 a 31/08/2005
- 01/06/2005 a 30/06/2005



Outros sites:

- Rango na Madrugada
- Substantivo Plural
- Mulher na Janela
- Girassol Noturno
- Nome do Poema
- Efemeramente Denise
- Tabernáculo
- Renato melo
- kaefe
- Simona Talma
- Bossa Velha
- Parte de Mim
- Renato (imagens)
- Silêncio da Boca
- Versos Delírios
- Lavra alma
- O Carapuceiro
- Chacal
- eraOdito
- Contos Interditos
- Balaio Porreta
- Paraíso Perdido
- Acontecimentos - Antônio Cícero
- Antônio Prata
- O que mais ninguém vê
- Potiguarando
- Vagabunda poesia
- Grupo Casarão de Poesia
- Cefas Carvalho
- Pablo Capistrano
- Helder Macedo
- TodosOsDiscosQueOuvi
- Casa das Musas
- Blog de 7 cabeças
- Traversuras
- E o que é poesia?
- Os Poetas Elétricos
- Menina Gauche
- Luiz Alberto Machado
- Meio Amargo



Indique esse Blog


Código html:
Cristiny On Line



Invidia

Teria verdade se não fosse apenas falácia
E se não distribuisse auto imagens aos altares
                                                             [desavisados.
Retórica treinada,  face de caleidoscópio
e água de pia vertida nos olhos.
Destruíste o meu amar sem prévio aviso
Restou apenas o que sempre foi ...
O que de fato és,
apenas sombra.

Créditos da Imagem.



- Postado por: Delia ?s 02h25
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Duas versões de duas Adélias para um amor único.

 

Mater dolorosa

(...) Uma vez fizemos piqueninque,
ela fez bolas de carne
pra gente comer com pão.
Lembro a volta do rio
e nós na areia.
Era domingo,
ela estava sem fadiga
e me respondia com doçura.
Se for só isso o céu,
está perfeito.

Adélia Prado (Oráculos..., p.47)

.......................................................................

 

Coisas de mainha.


No santuário improvisado
na bagunça de um velho
armário
Estava a bucólica santinha.
Fitava-me com pena.
Não sei se de mim
Não sei se dela

Guardava em um saquinho
um 3x4 e um bilhetinho.
Era eu ainda pequena
no retrato em preto e branco

No bilhete tinha uma oração
(escrita à mão)
a mais linda que li
pedia
luz, paz, e felicidade.

Fez-me abençoada no mesmo
instante

Transbordada de amor.

 

Adélia Danielli

......................................................................

 



- Postado por: Delia ?s 05h21
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




São as poesias que se classificaram em 3º lugar no 4º Concurso Zila Mamede de Poesia.

 

Tudo é vinho...
A solidão
A tristeza
A saudade
A música
A casa vazia
As poesias antigas
 E até...
O líquido da taça

..................................................

Profilática

Falam-me de alegria e
eu palhaça sem circo
abro a janela para vê-la  passar
"São os riscos que se corre..."
Penso enquanto escrevo para
Anônimo destinatário,
Vive-se tanto e não sabe
o que é viver!
Porém, trago em meu bolso
uma brisa suave de mar,
que levo
a todo lugar...
Pois nunca se sabe,
quando se estará no inferno.

....................................................


Bulindo


Faço coisas que não quero.
São essas luas.
O desejo esquenta minha pele
revelando-me em luzes peroladas.
Adoeço aos tremores.

................................................................

 

 

Duas Cidades

Resgata-me do abismo à que me empurrou
trazendo doces e pequenos agrados.
E tudo recomeça na próxima oportunidade.
Entre eu e ela,  há um mundo construído em duas cidades.
E as nossas estradas, variam conforme à previsão do tempo.
Agita-me em desconfortos quando liga só para gritar.
E a noite termina como tudo entre nós,
Ela com seu rosário, e eu com todas as poesias.

Choramos juntas sem saber...

.....................................................................


Trans-formada
(ou mais mulher que eu)

 

Por brilhos de lantejoula
Declarada
Por desejos de adeguação
Transformada
Por respeito e dignidade
Ameaçada
Por talento e inteligência
Subjugada
Pela face e pelos olhos
Assassinada

 

.......................................



- Postado por: Delia ?s 19h56
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________