Meu perfil
BRASIL, Nordeste, NATAL, Mulher
MSN - adeliadanielli@hotmail.com




Hist?rico:

- 01/12/2008 a 31/12/2008
- 01/11/2008 a 30/11/2008
- 01/10/2008 a 31/10/2008
- 01/09/2008 a 30/09/2008
- 01/08/2008 a 31/08/2008
- 01/06/2008 a 30/06/2008
- 01/04/2008 a 30/04/2008
- 01/03/2008 a 31/03/2008
- 01/02/2008 a 29/02/2008
- 01/01/2008 a 31/01/2008
- 01/12/2007 a 31/12/2007
- 01/11/2007 a 30/11/2007
- 01/10/2007 a 31/10/2007
- 01/09/2007 a 30/09/2007
- 01/08/2007 a 31/08/2007
- 01/07/2007 a 31/07/2007
- 01/06/2007 a 30/06/2007
- 01/05/2007 a 31/05/2007
- 01/04/2007 a 30/04/2007
- 01/03/2007 a 31/03/2007
- 01/12/2006 a 31/12/2006
- 01/10/2006 a 31/10/2006
- 01/08/2006 a 31/08/2006
- 01/06/2006 a 30/06/2006
- 01/05/2006 a 31/05/2006
- 01/04/2006 a 30/04/2006
- 01/01/2006 a 31/01/2006
- 01/11/2005 a 30/11/2005
- 01/10/2005 a 31/10/2005
- 01/09/2005 a 30/09/2005
- 01/08/2005 a 31/08/2005
- 01/06/2005 a 30/06/2005



Outros sites:

- Rango na Madrugada
- Substantivo Plural
- Mulher na Janela
- Girassol Noturno
- Nome do Poema
- Efemeramente Denise
- Tabernáculo
- Renato melo
- kaefe
- Simona Talma
- Bossa Velha
- Parte de Mim
- Renato (imagens)
- Silêncio da Boca
- Versos Delírios
- Lavra alma
- O Carapuceiro
- Chacal
- eraOdito
- Contos Interditos
- Balaio Porreta
- Paraíso Perdido
- Acontecimentos - Antônio Cícero
- Antônio Prata
- O que mais ninguém vê
- Potiguarando
- Vagabunda poesia
- Grupo Casarão de Poesia
- Cefas Carvalho
- Pablo Capistrano
- Helder Macedo
- TodosOsDiscosQueOuvi
- Casa das Musas
- Blog de 7 cabeças
- Traversuras
- E o que é poesia?
- Os Poetas Elétricos
- Menina Gauche
- Luiz Alberto Machado
- Meio Amargo



Indique esse Blog


Código html:
Cristiny On Line



 

Dor pré-carnaval


Anseio o ar
E a gelada sob a mesa
A dor de companhia diária
se intensifica em tempos
de pré-folia
O aperto no peito fica
maior
Pois teme ser abafado
pelos tambores, cuícas
e baterias
Tudo dói um pouco mais
é o medo do escuro batendo à porta
da amiga angústia
que...
Não quer ir.
(Ela não tem fantasia)



- Postado por: Delia ?s 17h02
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Para C.

 

Profana-me com doçura
em palavras sujas
Molha-me em vinho e
como tua boca me lambe
A mulher que deseja à
mulher que...

Profana-me com tuas mãos pagãs
dedos de deusa
entrelaçados
completando-se
em nós.

Profana-me com teus olhos
o desejo ávido evidente
Cólicas no baixo ventre
refletem o calor da nuca
ardente

Profana-me agora
Sem almas
Sem raiz
Sem medo
Sem pensar

Profana-me dá-me
o estremecer
da vida.



- Postado por: Delia ?s 19h30
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Tarde da gente

Com as dobras das mãos
João carrega o mundo.
Recita pra me ver chorar.
Acho lindo mesmo, e choro.
É um pouco de mim ali falando
É o símbolo do amor sem semi-ótica.
É só palavra e amor.
Gosto quando canta, canta.
Gosto quando dança, dança.
Gosto quando ri, então gargalha.
Faz de mim só coração e baba escorrendo.
Tem um azedo de sovaco suado
Tem um cheiro de corrida no sol
Tem um gosto salgado de sujo
Que é impossível ser mais doce.

 



- Postado por: Delia ?s 13h11
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Dor de árvore

 

Como será que choram as algarobas?

Saberão elas naquele sol todo

naquela seca inteira

que se pode chorar?

 

Eu aprendi o que a mim me resta.

E como um ser daquela terra

cabe a mim

a ela ensinar.

 

Chorou minha avó, chora minha mãe

e minha sina eu não vou negar.

 

Éramos só meninas, o que o tempo nos fez?

 



- Postado por: Delia ?s 21h44
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________