Meu perfil
BRASIL, Nordeste, NATAL, Mulher
MSN - adeliadanielli@hotmail.com




Hist?rico:

- 01/12/2008 a 31/12/2008
- 01/11/2008 a 30/11/2008
- 01/10/2008 a 31/10/2008
- 01/09/2008 a 30/09/2008
- 01/08/2008 a 31/08/2008
- 01/06/2008 a 30/06/2008
- 01/04/2008 a 30/04/2008
- 01/03/2008 a 31/03/2008
- 01/02/2008 a 29/02/2008
- 01/01/2008 a 31/01/2008
- 01/12/2007 a 31/12/2007
- 01/11/2007 a 30/11/2007
- 01/10/2007 a 31/10/2007
- 01/09/2007 a 30/09/2007
- 01/08/2007 a 31/08/2007
- 01/07/2007 a 31/07/2007
- 01/06/2007 a 30/06/2007
- 01/05/2007 a 31/05/2007
- 01/04/2007 a 30/04/2007
- 01/03/2007 a 31/03/2007
- 01/12/2006 a 31/12/2006
- 01/10/2006 a 31/10/2006
- 01/08/2006 a 31/08/2006
- 01/06/2006 a 30/06/2006
- 01/05/2006 a 31/05/2006
- 01/04/2006 a 30/04/2006
- 01/01/2006 a 31/01/2006
- 01/11/2005 a 30/11/2005
- 01/10/2005 a 31/10/2005
- 01/09/2005 a 30/09/2005
- 01/08/2005 a 31/08/2005
- 01/06/2005 a 30/06/2005



Outros sites:

- Rango na Madrugada
- Substantivo Plural
- Mulher na Janela
- Girassol Noturno
- Nome do Poema
- Efemeramente Denise
- Tabernáculo
- Renato melo
- kaefe
- Simona Talma
- Bossa Velha
- Parte de Mim
- Renato (imagens)
- Silêncio da Boca
- Versos Delírios
- Lavra alma
- O Carapuceiro
- Chacal
- eraOdito
- Contos Interditos
- Balaio Porreta
- Paraíso Perdido
- Acontecimentos - Antônio Cícero
- Antônio Prata
- O que mais ninguém vê
- Potiguarando
- Vagabunda poesia
- Grupo Casarão de Poesia
- Cefas Carvalho
- Pablo Capistrano
- Helder Macedo
- TodosOsDiscosQueOuvi
- Casa das Musas
- Blog de 7 cabeças
- Traversuras
- E o que é poesia?
- Os Poetas Elétricos
- Menina Gauche
- Luiz Alberto Machado
- Meio Amargo



Indique esse Blog


Código html:
Cristiny On Line



 

 

Invado sem temer
esse sagrado e tênue
espaço
entre estar e ser

 

 ***

 

 

Quem permitiu
que me amasse
sem receios?
sou mundana
insana e
tenho incertezas
até a terceira geração
Sou terra molhada pela chuva
quando forte o sol. Seco.

 

 

 

Foto do filme: "Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças" de Michel Gondry



- Postado por: Adélia Danielli ?s 19h03
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Me insinuo a esse tempo
que não sei viver
faço parte de uma matilha
de lobas perdidas
Desencontrada
nos desejos e na realidade
tento fugir
Despercebida.

 

 Serenade for de Doll



- Postado por: Adélia Danielli ?s 20h50
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Duas das dez poesias premiadas com Menção Honrosa no Prêmio Luis Carlos Guimarães da Fundação José Augusto. (depois publicarei as outras)

 


Não queria ser assim
ter esse legado de
labirintos profundos
queria ser amplo
deserto promissor
esperando apenas
a água e a flor.


***


Nem laranja, nem verde, nem rosa choque


Hoje só escrevo em marrom e forte roxo
sou inteira saudade.

***

 

Serenade for the Doll



- Postado por: Adélia Danielli ?s 12h52
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




UMA VEZ TRÊS

 

por ser
palavra
ecôo
fugindo
em quem
me ouve

-------------------------------
Tarde vazia

Sem plantinhas nos vasos,
casa mais seca!
Aqui só vive a falta
e eu.

-------------------------------

Rol

Trouxe o pão
os ovos
o leite
até chocolate
pra agradar
mas,
esqueceu
minha encomenda
meio metro
de amor
pra tentar remendar.


 



- Postado por: Adélia Danielli ?s 18h28
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Nem Freud

Gosto de banho
no escuro
apago a luz
a água escorre
e minha tristeza
vai pelo ralo.

 

 



- Postado por: Adélia Danielli ?s 04h00
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




 

Venha me tomar em doses
de exagero alopático
overdose de mim
em seu organismo
desorganizado

Não traga nada
o vazio importa mais
para inalterada sensação
de estar em si
em mim

Absorva até que o tempo mude
que seja luz se escuro
que escureça o claro então
que se passem anos-segundos
e séculos-minutos se farão

Não se preocupe
para não ter medo
mas ignorar não é a questão
apenas atenda meu pedido
não pense e
viva esta gauche imensidão

 

Imagem: Vânia Medeiros



- Postado por: Delia ?s 19h51
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




"Quando volto a pensar nele, nestas noites em que dei para me debruçar à janela procurando luzes móveis pelo céu, gosto de imaginá-lo voando com suas grandes asas douradas, solto no espaço, em direção a todos os lugares que é lugar nenhum. Essa é sua natureza mais sutil, avessa às prisões paradisíacas que idiotamente eu preparava com armadilhas de flores e frutas e fitas, quando ele vinha. Paraísos artificiais que apodreciam aos poucos, paraíso de eu mesmo - tão banal e sedento - a tolerar todas as suas extravagâncias, o que devia lhe soar ridículo, patético e mesquinho. Agora apenas deslizo, sem excessivas aflições de ser feliz."

Caio Fernando Abreu em "Os dragões não conhecem o paraíso".


A Caio e aos Dragões.


tento sangrar o lábio
a dor precisa migrar

quero o vazio
a claridade, a leveza.

não tenho um dragão
mas, gosto de dizer
que mora um comigo
 
assim, pelo menos,
somos (aqueles) dois
que só existem na
imaginação [eu e o dragão

quando a boca
finalmente sangra
a dor não importa mais
palavras com morfina
encantaram-me.

que seja doce [que seja doce...
o destino
de escrever.


 



- Postado por: Delia ?s 05h28
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Espelhado amor
de reflexos
sem enígmas
sentimos
na pele
mais que
toque e calor
Saiu de meu ventre
mas ainda passeia
em meu sangue
e no vão escondido
das artérias
se nega
à ausência.


Imagem: by me. "Eu e João"



- Postado por: Delia ?s 00h31
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




E que nenhuma dor
me cale me cegue
me surte

Que eu veja sempre
o pôr-do-sol
e por ele volte
a me perder

Que cada amor
não viva em
vão

E eu possa escrever
pois também não sei
cantar.

 

Imagem: Dancing - Beatriz Milhazes



- Postado por: Delia ?s 04h08
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Da série: Vale a pena ler de novo 

 

 

 

Sim, tempus fugit.

 

(A todas as pessoas que fazem de meu tempo, algo digno de ser amado)

 

 

 

 

Hoje não quis beber. Não saí.

 

Embora o amargo/semi-doce da cerveja gelada me fosse convidativo.

 

Desejei-me sóbria para poder visitar outros espaços que para mim revelaram-se.

 

Estou prestigiando minha nostalgia.

 

Coisa propícia em uma noite de lua cheia. (de melancolia).

 

Mas, minha saudade não vive em algo distante, é o agora nostálgico que me povoa.

 

É uma consciência leve que por instantes me mostra o “re-encantamento do mundo”.

 

E isso é tão belo, que; triste.

 

Hoje estou com saudade de tudo que ando fazendo e vou fazer.

 

É como ficar de coração apertado sabendo que o hoje, amanhã será ontem, e já foi.

 

Por isso, estou com saudades das conversas amenas e infantis,

 

no chão de minha sala.

 

As frustrações e ansiedades divididas nas mesas dos bares...

 

Esses dias em que as palavras nem são usadas, e nos entendemos.

 

Saudade de tudo que durará tão pouco...

 

São livros, filmes, roupas, confissões, tensões ( tesões), e alegrias compartilhadas.

 

Pensa-las distante, é morrer de véspera.

 

Mas, como não morrer (aos poucos) quando se tem certeza da morte chegando?

 

Em sua, “Oração do Tempo” o Caetano diz;

 

“Compositor de destinos, tambor de todos os ritmos, tempo, tempo, tempo, tempo,

 

entro num acordo contigo, tempo, tempo, tempo, tempo.

 

Por seres tão inventivo e pareces contínuo, tempo, tempo, tempo, tempo,

 

és um dos deuses mais lindos.”

 

Em minha oração pessoal pediria a esse deus tão lindo, muito carinho para comigo.

 

O tempo que foge irreparavelmente, me atordoa.

 

Tenho sede dele, mas quando o tenho, bebo com a mais pura calma.

 

Delicio-me querendo mais.

 

Hoje, tentarei viver o momento que me é roubado a todo instante

 

mas, continuarei tendo saudade de tudo que é tão bom.

 

 

                                                                    ****

 

 

Obs: Há pouco mais de um ano escrevi esse “profético” texto

 

prevendo o que na verdade já parecia ser inevitável

 

a ida de pessoas que amo para longe.

 

Eu já sabia que a saudade faria de mim sua morada.

 



- Postado por: Delia ?s 04h27
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Poesia tem que ter asa
palavra sem asa não é
poesia
a asa da minha poesia
é a palavra vadia que
foge a cada testemunhar
castanho de suas íris
E vão além do sons
da boca que fala
E vão além do sons
do ouvido que ouve
testemunha o tempo
e nele permanece
fazendo-se
asa palavra
vadia ou
vadia palavra
de asa.

 



- Postado por: Delia ?s 14h51
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




 

Assim como a chita barata
que vive a efemeridade
de suas cores
Sigo aproveitando a luz
e expondo minhas flores
Antes que o tempo
que o sol
ou uma moça alheia
me rasgue sem vontade
e eu desbote
e fique feia.

 

 

 

Créditos da imagem: aqui



- Postado por: Delia ?s 00h51
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________





Ressaltou a palavra
dando ênfase ao
tom
era claro o que queria
era ali, lá
chegava mais perto
e me tinha na hora.
Dada de presente
naquela mesa
daquele bar
hedonisticamente
devorada.


Imagem: Catherine Deneuve no filme de Buñuel,
Belle de Jour de 1967



- Postado por: Delia ?s 02h59
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




 

Só a bailarina tem

uma pitangueira

que chora

flores e folhas

pra vê-la dançar

numa tarde

verde de agosto

 

 

 

 

 

Créditos da Imagem: aqui



- Postado por: Delia ?s 04h03
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Chorei quando percebi
Marluce não sabia ler
Olhei-a
como se estivessse
morta.
E aos seis anos
meu peito bateu
compassado
que dor,
que dor,
que dor.

 

 

 



- Postado por: Delia ?s 05h07
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________